26 de nov de 2011

EX-POEMA


Ex-Poema


Pisoteei- te
como um verme, na calçada
purobjeto;
e perdigotei-te
como um velho da sacada
por indevido dejeto.

E feito faca
que só recorta a carne crua
deixei-te em punho
foice e punhal
em morte dura, de renegado feto

Não me ame
não volte de novo para o meu fígado
pro meu inferno,
que aessaltura
a queimadura
cinzeou-me o terno.

Pra te soprar-te pra longe
pra esfregar minhas solas no teto
e esquecer-me do dia
quando os olhos tinham som de dance muz
e os soles no sky de mentira assavam dez copos de Guinness
de sentido amarga e jantar de velas.

C
era
Co
r
rea
fundida
revertida:
como sea luna
movida à mar
sentasse no meu kolo
e dezzo
rien tasse
a minha terra toda.
O ex-tômago se vira:
me lembro de que odeio
e engasgo,
tiro a dentaduraemiro
e cuspo-te de novo,
Palavraputa,que(rida) era.

Arquivo do blog