31 de dez de 2011


Músicka        -===--=-         Moderna



A Música mode er na
não é tudo issoall
Você sabe que não precisa ser assim/
a mágica deve ser trambique de acaso, e não lei
  • tem horas que sai morta da cartola;
    O seu ósculo feriu o meu rosto
    É o que ha´quando e procura a paz,
    e um corpo inclinado para trás
    um animal de três patas que lambe
  • uma coceira verinoza de desprezo;
  • Bate-e-Ria de íon volcanno
    Siciliano
    Africano
    fricando no meu beiço EN-tocado
    frita no meu medo, batata da esperma
    cãibra/
    e você me DiZ que cumular
    e camuflar
    e Não chover ácido único é N0RRmaLL?
    É como: Mal norr, tão sem ordem assim, tão comum quanto...
    Está virros
    se mente
    e e nasce em flor de aço e calcário
  • que só um futuro gameta
  • ameixa retângulo, quase-drado
  • discordante produz
  • e Re-Produzzz
  • sempre o mesmo odor - O dor.
  • Mas você não tem ideia
  • nem ideia do que seja esse pomar de peixe..
  • Você abre a lessone e tenta ler a música moderna
  • mas ela expira trombones e petes
  • Tenta achar ela na tabela das coisas certas, mas não tem toca
  • não te toca,
  • solitude e troça
  • trompete que vai
e volta

-e fica solene, no mesmo tom sarnado
como cabelo de sete pontas, playing ainda que triste
e vós só pegais o mais bonito e piegas;
Sempre se esquece das mãos
que fazem a canção fazer o autoffácil de ser;
uma impulsiva mão não stop cum arte
se lascando as unhas em pedra, todas
por essa noite e meia.

Arquivo do blog