13 de mai de 2012

Tempo



Tempo

Precisamos muito de tempo
e o tempo é uma coisa que se cria
quando se quer amor ou briga.
Não tenhas pressa de ser perpétuo
platônico ou bonito,
como é a cara cheia de rinhas da lua apática que não gira,
nem como a brisa que deveras espera, e insiste, e não bate
como deveria, faz a curva e não te sacode...
O tempo que se quer vai longe
comprido demais pra ser teu amo,
como uma marca da mosca laranja que voa, sem paralelo no seu quarto
e mal se veem dela as asas;
está lá, quando o quase
é o não pegarmos
saindo pelo vão de mão exausta, em oito, imitando o relógio,
cabreira, cismada por não ter se chegado
entre os dedos
tanto tateio
para nada
esmagado-tempo.

Arquivo do blog