2 de fev de 2016

2 de Fevereiro (OTTO - JANAÍNA)





Já no mar, Janaína não pode ameaçar ninguém. Do mar, Janaína não pôde ouvir três séculos de dor de calçadas de seus seguidores tristes e broncudos, nesta terra americana cuja parte mais gostosa tem o seu sem número de rostos de praia deitados em direção à África; África que talvez nem resida mais no palácio tranquilo do sonho, não se sabe ... Sequer falamos dela; enchemos o bucho de África e não vivemos, não sabemos nela... Seria trágico se África não nos desse mais ouvidos também ... Já longe-mar, e diante de tão pouco proselitismo, da resposta muda de quem não dá nada além de esperança, eu estarei por hoje com os Orixás perdidos, com os caldos marítimos infinitos da Rainha. Amanhã, quem sabe, isso passa e eu volto para minha canalhice agnóstica e urbana.



Juliano Salustiano




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog